Projetos em Curso

PROJETO

2019 – Turismo Criativo

 

Objectives:
– To characterize the profile of the creative entrepreneur: their motivations, performance measures, competencies, driving factors, barriers, satisfaction, etc.;
– To analyze how it works in network with other local entrepreneurs;
– To understand how a particular place or city can attract/retain creative entrepreneurs.

What we provide:
For those who answer the questionnaire:
We are strongly committed to providing you with the benefits of answering the questionnaire, in particular:
– A summarized report on the results of the study, which could help each entrepreneur to develop his or her business in a sustainable way;
– For those who wish, we are seeking to make a book that shows their activities and which could be an excellent means of dissemination.

For the localities/cities/entities that collaborate in the diffusion of the questionnaire:
A detailed report on the results of the study, which may contribute to each destination assessing its competitiveness as a creative tourist destination. Based on this analysis and the information contained in the report, the destination may develop strategies that are more in line with the competitiveness factors.

For society:
The results will be mostly articles, books and chapters in scientific.
However, it is also intended to create a model that is applicable by society in general, including municipal decision makers, local tourism managers, among others so that they can develop creative tourist destinations.

About Us:
The research team is composed by seven senior and junior researchers from Universidade Lusófona (Portugal); Universidad de Sevilla (Spain).
Team leaders: Alvaro Lopes Dias, PhD., Mafalda Patuleia, PhD., and Francisco Espasandín-Bustelo PhD.

For futher information, please contact us.
alvaro.dias@ulusofona.pt
mafaldapatuleia@ulusofona.pt
Tel: +351 914740112
turismo.ulusofona.pt

Inserido na lógica da necessidade de segmentar o turismo, através de novas conceções sobre produtos e destinos turísticos, o tema do turismo criativo tem sido objeto de intensa pesquisa nas últimas duas décadas (por exemplo, Bruin & Jelinc, 2016; Richards & Wilson, 2006). A discussão envolve vários temas, tais como turistas criativos (Ali, Ryu, & Hussain, 2016; Tan, Kung, & Luh, 2012; Tan, Tan, & Luh, 2015), a atmosfera (Maitland, 2010; Santagata & Bertacchini, 2011), empresários criativos (Komppula, 2014; Mottiar, 2007; Richards, 2011b), marketing de destino (Dias-sardinha, Ross, & Gomes, 2018), o papel das entidades públicas (Clare, 2012) ou do próprio produto criativo (Binkhorst & Den Dekker, 2009; Drake, 2003). O turismo criativo está relacionado com uma experiência compartilhada de aprender-fazendo abraçando um conjunto de atividades de aprendizagem experiencial (De Bruin & Jelincic, 2016). Além disso, esse engajamento interativo do turismo criativo (Dias-sardinha et al., 2018) envolve a promoção da cultura local e experiências autênticas (Remoaldo & Cadima-Ribeiro, 2019) “somente alcançáveis se os ‘palestrantes’ responsáveis pela condução das atividades criativas forem pessoas locais e forem capazes de realizar atividades criativas embutidas na cultura e herança local/regional” (p. 87).

Apesar do turismo criativo estar a ser abordado sob vários pontos de vista, produtos e processos, elementos facilitadores, marketing, sustentabilidade, entre outros, (Richards & Wilson, 2006), ainda não construído um modelo integrador, que reúna todas as suas dimensões e possibilite a perspetiva da competitividade do destino criativo.

Assim esta pesquisa tem como objetivo apresentar um modelo de competitividade de um destino turístico criativo. O modelo apresenta quatro dimensões essenciais: elementos centrais (produtos e processos, viajantes e empreendedores), capacitadores (engajamento comunitário e competências de stakeholders), desenvolvedores (marketing e comunicação) e sustentabilidade.

Objetivos:

  • Apresentar um modelo integrador de competitividade de um destino turístico;
  • Tornar a ULHT num polo de competências nesta área;
  • Promover o desenvolvimento regional através de soluções diferenciadoras e criativas;
  • Diminuir as assimetrias dos destinos turísticos, promovendo a desconcentração territorial.

Equipa de Investigação:

Álvaro Lopes Dias (ULHT), Francisco Espasandín (Universidade de Sevilha), João Pedro Estevão (ULHT), Mafalda Patuleia (ULHT), Marco Noivo (ULHT), Maria João Silveira (ULHT) e Maria Rosário Gonzalez Rodriguez (Universidade de Sevilha).

 

PROJETO

2019 – Barómetro do Alojamento Local Em Portugal

A segunda edição do Barómetro do Alojamento Local, um estudo da HomeAway®, plataforma especialista em alojamentos para férias, realizado em colaboração com o Centro de Investigação em Comunicação Aplicada e Novas Tecnologias (CICANT) e com o Departamento de Turismo da Universidade Lusófona, voltou a inquirir os portugueses com o objetivo de analisar o perfil do viajante que escolhe alojamento local para férias.

Equipa de Investigação:

Manuel José Damásio (ULHT), Álvaro Lopes Dias (ULHT), Mafalda Patuleia (ULHT) e Diogo Morais (ULHT).

 

PROJETO

2019 – Determinantes de sucesso no alojamento turístico

Objetivos

  • Contribuir para o debate académico em torno dos determinantes de sucesso que contribuam para o desenvolvimento do alojamento turístico.

Equipa de Investigação

Álvaro Lopes Dias (ULHT), João Pedro Estevão (ULHT), Mafalda Patuleia (ULHT), Maria João Machado (ULHT) e Helena Martins (ULHT).

 

PROJETO

(2019-2021) Projecto de gestão de serviços para a implementação efetiva do PRODESI em Angola

Entidades: Governo de Angola (Ministério de Economia e do Planeamento); Banco Africano de Desenvolvimento; PRODESI (Programa de apoio à produção, diversificação das exportações e substituição de importações)

Parceiros: ULHT – Eduardo Moraes Sarmento e Pahl Consulting

Metas:

Expandir o setor não petrolífero através da melhoria do ambiente de negócios do país, aumentar a produtividade e competição, encorajar a atração de investimentos externos. Os principais pilares do *PRODESI são: (i) substituição de importações com ênfase no desenvolvimento de cadeias de valor e incentivo ao setor privado no agronegócio; (ii) promoção e diversificação das exportações do setor não petrolífero; (iii) criação de um ambiente de negócio para o desenvolvimento do setor privado e atrair investimento e participação dos privados na economia; (iv) desenvolvimento das infraestruturas e (v) desenvolvimento do capital humano; (vi) avaliação da estratégia para implementar a cadeia de valor do turismo.

 

PROJETO

(2019-2022) O papel das estratégias de desenvolvimento local na sustentabilidade e na competitividade das economias locais dos territórios de baixa densidade, em Portugal. O caso das CIMs “Beiras e Serra da Estrela” (CIMBSE) e do “Alentejo Central” (CIMAC)

O projeto é transversal entre as áreas da sociedade, da economia, da política, da segurança e  do turismo.

Centro de apoio: CIPES – Centro de Investigação em Política, Economia e Sociedade. Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.

Coordenador de Projeto: Eduardo Moraes Sarmento

Parceiros:

CIPES – Centro de Investigação em Política, Economia e Sociedade.

CEO – Centro de Investigação de Economia e das Organizações

CIMAC – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central

CIMBSE – Beiras e Serra da Estrela

Metas: Definir o papel e matriz das Estratégias de Desenvolvimento Local para a sustentabilidade e competitividade das economias locais dos territórios de baixa densidade em Portugal continental. O estudo empírico a desenvolver centra-se nos territórios locais de baixa densidade das Regiões do Centro (Cova da Beira, Serra da Estrela e Beira Interior Norte) e do Alentejo Central de Portugal Continental com o propósito de os caracterizar e analisar do ponto de vista de uma estratégia supramunicipal para o desenvolvimento sustentado.

 

PROJETO

(2018-2021) – muSEAum (PTDC/EGE-OGE/29755/2017)

Pretende-se criar e desenvolver um ecossistema competitivo e sustentável de museus baseado na marca coletiva muSEAum Museus de Mar de Portugal/Sea Museums of Portugal.

O projeto incidirá na investigação, avaliação e teste, numa parceria de formação ao longo da vida e co-inovação, com uma amostra de museus de todo o país, de um modelo prático e flexível de captação e desenvolvimento de novos públicos – apreciadores das coisas do mar, da história marítima de Portugal, das artes de navegação e da pesca, de modos de vida marítimos, da arte inspirada no mar.

O projeto está focado na exploração e desenvolvimento de técnicas de marketing e branding, no desenho e na atratividade da experiência de visitante, no aperfeiçoamento de competências em marketing digital e nas atuais melhores práticas de museus nacionais.

Projeto integrado na Estratégia Nacional para o Mar 2018-2020.

Montante financiado pela FCT: €231.716,00.

Centro de Apoio: CICANT

Investigador integrado.

Duração: 2018-2021

 

PROJETO

(2017-2020) Erasmus+ Programme: Strategic Partnership (Key action 2)

Número do Processo: KA202-2017-014

Nome: Professional SMEs in tourism – transnational development of skills acquisition.

Pretende-se criar uma plataforma digital para as PME’s de Billund (Dinamarca), Bornemouth (Inglaterra), Região do Alentejo (Portugal) e aferir da aceitação e uso de plataformas digitais no âmbito do marketing e do processo de negócio. Serão propostas medidas de atuação para cada empresa.

Parceiros:

Ringkøbing-Skjern Kommune – Ringkøbing – Denmark (coordenador)

Universidade Lusófona – Eduardo Moraes Sarmento (investigador integrado).

Turismo de Portugal

Bournemouth University – United Kingdom

Bournemouth Borough Council – United Kingdom

Duração: 1 setembro de 2017-2020